Blog da Zê (em férias, mas de sobreaviso...risos), bem vindo!

Agenda de cursos presenciais no site www.zenaidecarvalho.com.br

30/01/15

eSocial, você continua estudando?

Ontem ministrei palestra sobre eSocial para empresários contábeis no ENESCON 2015.

Sempre há um ponto de vista diferente a estudar no eSocial. Mesmo que a vigência oficial não tenha sido publicada, vale a pena estudar e ir aprendendo sobre o que será exigido.

Veja o exemplo abaixo, sobre aquela rotina que acontece muito nas empresas, que é "emendar" licença maternidade com férias... será que pode? Não, não pode desde já, mas com o eSocial ficará mais evidente, deixando o empregador vulnerável a uma autuação por descumprimento das regras vigentes.

Abraços, até breve, bom final de semana!

Zenaide.





28/01/15

Seminário online para todo Brasil - Decreto 8.373/2014 - eSocial

Nome do Seminário
Decreto 8.373/2014 – e-Social: Saiba o que é e como Implantar a Nova Obrigação Previdenciária e Trabalhista.
*** Seminário online para todo Brasil***
Data e horário
29/01/2015 – A partir das 14h (horário de Brasília)

Fórum interativo: 29/01/2015 - 17h00 ás 18h00 (horário de Brasilia)
O fórum interativo é um espaço onde é possível discutir ideias, sanar dúvidas e trocar informações entre participantes e palestrantes dos seminários transmitidos pela Universidade Corporativa. Será disponibilizado sempre após o término dos Seminários e estará aberto para envio de perguntas e com respostas em tempo real do Palestrante.

Local
o seminário será transmitido Via-WEB, ou seja, você poderá assistir de qualquer lugar que dispunha de Internet.
Carga horária
3 horas de Seminário + 1 h de Fórum Interativo= 4 horas
Objetivo
Levar as informações sobre  eSocial aos profissionais que atuam nas áreas de pessoal e administração, a fim de prepararem seus cadastros e arquivos para o cumprimento da nova obrigação trabalhista e previdenciária.
Público-alvo
Contadores, Administradores, Assistentes e auxiliares de escritórios contábeis, Auditores, Chefes de Departamento de Pessoal, Empresários de ramos diversos e Funcionários de órgãos Públicos. Também recomendamos aos profissionais que atuam nas áreas financeira, jurídica, medicina e na segurança do trabalho.
Nível
Intermediário (requer conhecimentos básicos na área trabalhista e previdenciária)
Conteúdo Programático
1. O que é o eSocial
2. Legislação e vigência
3. Quais os objetivos do eSocial
4. Periodicidade de envio das informações: eventos diários e mensais
5. Quais as entidades envolvidas
6. DCTF-Prev – o que é, informações a serem geradas
7. Registro de Eventos Trabalhistas (RET): férias, aviso prévio, admissões etc: análise e orientação sobre o preenchimento correto das informações
8. Folha de Pagamento: tabelas de incidência, verbas etc
9. Cadastros: registro de empregados e de estagiários
10. Campos e tabelas a serem utilizadas no eSocial
11. Medicina e Segurança do Trabalho: o que será exigido no eSocial
12. Inconsistência do RET x Arquivo da Folha de Pagamento
13. Prestação de serviços de pessoa física: o que informar
14. Prestação de serviços de pessoa jurídica: o que informar pelo contratado e pelo contratante
15. O que muda com eSocial
16. Cruzamento de dados no envio e na fiscalização
17. Como implantar o eSocial?
Palestrante
Zenaide Carvalho - Administradora, Contadora, Especialista em Auditoria e Controladoria, Especialista em Direito do Trabalho e em Pedagogia Empresarial e Professora de Pós-graduação em Análise Tributária.
Tem mais de 33 anos de experiência profissional. Site: www.zenaidecarvalho.com.br.
Inscrições
Procure o SESCAP ou SESCON da sua região ou envie um e-mail para unifenacon@unifenacon.org.br





27/01/15

IRRF 2015 é o mesmo de 2014 (por enquanto)... e o eSocial ainda não saiu oficialmente!

Oi, pessoal, boa tarde!

Muitos e-mails perguntando sobre nova tabela do IRRF para 2015... não saiu ainda nada de novo!

Por enquanto usem a tabela do IRRF 2014 mesmo, ok? A correção de 6,5% foi vetada, aquela anterior de 4,5% foi cancelada  e nada de novo por enquanto.

Sobre o eSocial: saiu o Decreto 8.373/14 em dezembro e até hoje (27/01/2015) estamos aguardando sair o manual e os leiautes oficiais, mas até agora só se sabe é que a parte "pratica" virá através de Resolução do Comitê Gestor do eSocial, que foi constituiído através do Decreto citado.

Ah, já pode atualizar a tabela de INSS no programa SEFIP (há poucos dias postei aqui como fazer automaticamente)... 

Boa folha de janeiro para todos!

Zê.


26/01/15

Curso presencial - E-SOCIAL: O QUE É, COMO IMPLANTAR? Dia 09/02/2015



Nome do curso
E-SOCIAL: O QUE É, COMO IMPLANTAR? Edição 2015
Data e horário
09/02/2015, das 8h30 às 17h30
Local
Auditório do Sescon da Grande Florianópolis – Florianópolis – SC
Carga horária
8 horas
Objetivo
Levar as informações sobre  eSocial aos profissionais que atuam nas áreas de pessoal e administração, a fim de prepararem seus cadastros e arquivos para o cumprimento da nova obrigação trabalhista e previdenciária.
Público-alvo
Chefes de departamento pessoal, assistentes, auxiliares, contadores, auditores, empresários e demais profissionais interessados no tema, de empresas privadas, escritórios contábeis e órgãos públicos. Também recomendamos para os profissionais que atuam na área financeira, medicina e segurança do trabalho e departamento jurídico, controles internos e demais áreas administrativas.
Nível
Intermediário (requer conhecimentos básicos na área trabalhista e previdenciária)
Conteúdo Programático
1.       O que é o eSocial
2.       Legislação e vigência
3.       Quais os objetivos do eSocial
4.       Periodicidade de envio das informações: eventos diários e mensais
5.       Quais as entidades envolvidas
6.       DCTF-Prev – o que é, informações a serem geradas
7.       Registro de Eventos Trabalhistas (RET): férias, aviso prévio, admissões, etc: análise e orientação sobre o preenchimento correto das informações
8.       Folha de Pagamento: tabelas de incidências, verbas, etc
9.       Cadastros: registro de empregados e de estagiários
10.    Campos e tabelas a serem utilizadas no eSocial
11.   Inconsistências do RET x Arquivo da Folha de Pagamento
12.   Prestação de serviços de pessoa física: o que informar
13.   Prestação de serviços de pessoa jurídica: o que informar pelo contratado e pelo contratante
14.   O que muda com o eSocial
15.   Cruzamento de dados no envio e na fiscalização
16.   Como implantar o eSocial?
Palestrante
ZENAIDE CARVALHO
convidada da UNIFENACON em 2013 e 2014 para o Seminário Online sobre eSocial, ESAF-PR (Escola de Administração Fazendária do Ministério da Fazenda) do STF (Supremo Tribunal Federal), TST (Tribunal Superior do Trabalho), MPU, SEFAZ-SP, Instituto Federal do Rio de Janeiro – IFRJ, IF-SUL (Pelotas-RS), TCE-SC, Prefeitura de Jundiaí-SP, Prefeitura de Ouro Preto-MG, Escola de Servidores do TJ-MT, palestrante convidada do CRC-SC desde 2007 e de diversas outras entidades (Previ-Rio, FESAG-SC, Aemflo,). Administradora (CRA-SC 18725) e Contadora (CRC-RJ 092133/O-0 T-SC), pós-graduada em Auditoria e Controladoria, pós-graduanda em Direito do Trabalho e em Pedagogia Empresarial, 1º lugar no VI Exame de Suficiência do CRC-RJ, autora de livros, entre eles  o livreto “Os Erros Mais Comuns na GFIP: Como evitar ou corrigir” e “Como Abrir Uma Empresa, da Idéia aos Lucros” (Ed. Minelli, SP), e Professora de Pós-Graduação em Análise Tributária. Ministra treinamentos abertos e in company em todo o Brasil. Desenvolvedora de treinamentos presenciais e a distância nas áreas trabalhista e previdenciária, articulista de jornais, revistas e sites, entre estes, o Portal Administradores, Portal Contábeis e o Portal Contadores. Tem mais de 33 anos de experiência profissional. Site: www.zenaidecarvalho.com.br.
Inscrições
48 3222 1409 ou educacao@sesconfloripa.org.br
Investimento
Associados SESCON/GF que pagam a contribuição Sindical: R$ 160,00
Associado SESCON/GF ou contadores em dia com o CRC: R$ 190,00
Parceiros: R$ 245,00
Demais interessados: R$ 340,00

Formas de pagamento:
A vista no boleto ou acima de 02 inscrições consultar condições de pagamento.   
 Espero todos por lá!

Abraços,
Zenaide Carvalho
www.zenaidecarvalho.com.br

21/01/15

Multas da GFIP são canceladas em 20/01/2015, mas entenda as regras!

Ainda bem que ninguém quis apostar comigo, mas eu JURAVA que as multas não seriam canceladas.

Azar (sim, azar!) de quem foi CERTINHO e PAGOU, já que a lei prevê que não haverá devolução... eheheheh... mais uma vez, no Brasil, quem faz a coisa certa acaba sendo prejudicado.

As mudanças foram publicadas ontem (20/01/2015) na Lei 13.097/15 (para ver direto no DOU, CLIQUE AQUI) e constam dos artigos 48, 49 e 50 da Lei, leiam:


Da Apresentação da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social - GFIP
Art. 48.  O disposto no art. 32-A da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, deixa de produzir efeitos em relação aos fatos geradores ocorridos no período de 27 de maio de 2009 a 31 de dezembro de 2013, no caso de entrega de declaração sem ocorrência de fatos geradores de contribuição previdenciária.

Art. 49.  Ficam anistiadas as multas previstas no art. 32-A da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, lançadas até a publicação desta Lei, desde que a declaração de que trata o inciso IV do caput do art. 32 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, tenha sido apresentada até o último dia do mês subsequente ao previsto para a entrega.


Art. 50.  O disposto nos arts. 48 e 49 não implica restituição ou compensação de quantias pagas.


Então, resumindo:

1) A multa da GFIP SEM MOVIMENTO não entregue (ou entregue fora do prazo) fica CANCELADA se os fatos geradores (competências) eram entre maio/2009 e dezembro/2013).

Se por acaso você não entregou uma GFIP Sem Movimento em 2014, tem que pagar a multa, ok?

2) Ficam CANCELADAS as multas de GFIP COM MOVIMENTO de 2009 até dez/2014, desde que tenham sido apresentadas até o último dia do mês subsequente ao previsto para entrega.

Explicando:

2.1 - Caso que a multa é CANCELADA: a GFIP de julho/2011 deveria ter sido entregue até 07/08/2011, mas foi entregue somente 30/09/2011. Neste caso a multa está CANCELADA, pois a GFIP foi apresentada "até o último dia do mês subsequente ao previsto para entrega".

2.2 - Caso que a multa NÃO É CANCELADA: a mesma GFIP de julho/2011 foi entregue em 02/10/2011. Neste caso a multa deve ser paga, já que a transmissão foi após o "último dia do mês subsequente ao previsto para entregue".

E para quem pagou a multa, fica a tristeza: "não haverá restituição ou compensação de quantias pagas", é o que diz o artigo 50.

Aqui no Blog tem uns posts sobre valor da multa, etc... mas também consta na lei 8.212/91 citada na lei.

Para quem está com a CND bloqueada por falta de pagamento, e se enquadra na situação de cancelamento da multa, deve procurar o CAC da RFB para liberação da Certidão.

Abraços, fique com Deus e até breve!

Zenaide Carvalho
www.zenaidecarvalho.com.br

18/01/15

GFIP/SEFIP - Tabela INSS 34.0 para 2015 já está sendo atualizada automaticamente!

Oi, pessoal, o SEFIP já está atualizando automaticamente a tabela 34 do INSS para 2015.

Para atualizar automaticamente: entre no programa SEFIP, vá no MENU > Ferramentas > Carga Manual de Tabelas > Auxiliares INSS > Automático (deve estar conectado à internet para atualizar!).

Abraços e bom domingo!

Zenaide Carvalho

www.zenaidecarvalho.com.br

15/01/15

Isenção das multas da GFIP aguarda sanção – MP 656/14

O Congresso Nacional aprovou em 17/12/2014, a Medida Provisória 656/14 que entre outras alterações, extingue multas da GFIP para Micro e Pequenas Empresas, conforme texto abaixo:

Seção XIV
Da apresentação da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia
por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social – GFIP

Art. 48. O disposto no art. 32-A da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, deixa de produzir efeitos em relação aos fatos geradores ocorridos no período de 27 de maio de 2009 a 31 de dezembro de 2013, no caso de entrega de declaração sem ocorrência de fatos geradores de contribuição previdenciária.

Art. 49. Ficam anistiadas as multas previstas no art. 32-A da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, lançadas até a publicação desta Lei, desde que a declaração de que trata o inciso IV do caput do art. 32 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, tenha sido apresentada até o último dia do mês subsequente ao previsto para a entrega.

Art. 50. O disposto nos arts. 48 e 49 não implica restituição ou compensação de quantias pagas.


Para evitar que milhões de empresas brasileiras fossem afetadas, desde o início do ano a Fenacon tem sensibilizando os Poderes Executivo e Legislativo, atuado por uma solução quanto às multas recebidas pelo meio empresarial.

O texto foi aprovado à tarde pela Câmara dos Deputados, ao fim da noite pelo Senado Federal e agora segue à sanção presidencial.

Fonte: FENACON


Comentário da Zê: vamos aguardar a sanção presidencial e torcer para ser aprovado o texto da isenção das multas da GFIP, que na maior parte das situações será (ou seria) paga pelos escritórios contábeis. Não gostei do artigo 50, já que os que pagaram a multa ficarão prejudicados, ou seja, no Brasil quem faz as coisas certas acaba levando a pior. Veja que há um período a ser considerado: GFIP sem movimento, de 27/05/2009 a 31/12/2013. GFIP com Movimento: desde que apresentadas até o último do mês seguinte ao previsto para a entrega.

ENESCON/SC 2015 - 28 e 29 de Janeiro


Nome do seminário
ENESCON/SC 2015
3° Encontro dos Empresários dos Serviços Contábeis  e de Assessoramento do Estado de Santa Catarina
Data
28 e 29 de Janeiro de 2015
Local
Teatro Carlos Gomes – Rua XV de Novembro n° 1181 – Blumenau-SC
Conteúdo Programático
Palestras, Workshops e feira de negócios.  A ENESCON reunirá mais de 400 empresários do setor para trocar experiências, debater, avaliar tendências.
Palestrantes
Zenaide Carvalho: Dia 29 – as 11:15h. Painel interativo sobre “eSOCIAL: Oportunidade ou desafio” com a participação da instrutora, escritora e palestrante de recursos humanos especializada nas áreas trabalhista e previdenciária, Zenaide Carvalho. Mediadora contadora, advogada e diretora do SESCON Blumenau, Adriana Hort Martins.
Outros palestrantes convidados: Clóvis de Barros Filho, Anderson Hernandes, Edemilton Pozza, Marcio Kühne.

Inscrições

http://www.portalcontabilsc.com.br/enescon/?page=inscricao



CND bloqueada por falta de GFIP em CEI de Obra: O que é, como resolver e como evitar? (Artigo de Zenaide Carvalho)



 CND bloqueada por falta de GFIP em CEI de Obra: O que é, como resolver e como evitar?

“Não se limite a pensar em realizar algo. Tenha a convicção de que conseguirá realizá-lo”.
(Taniguchi)
Artigo de Zenaide Carvalho (*)

Não é incomum uma mesma obra receber duas matrículas de CEI – Cadastro Específico do INSS, sendo que uma das matrículas é indevida e a falta de GFIP bloqueia a emissão da CND – Certidão Negativa de Débitos da empresa. Mas você sabe por que isso acontece, como resolver e como evitar o problema?




A CND Previdenciária – que desde 03/11/2014 passou a ser conjunta com outros tributos federais – tem validade de 180 dias e é obrigatória nas empresas para obtenção de empréstimos, participar de licitações, receber subsídios governamentais entre outras exigências. Nos órgãos públicos é obrigatória para recebimento dos Fundos de Participação e outros recursos. Assim, ela deve estar sempre “limpa”, ou seja, sem restrições.



Como aparece o problema

Quando é feito um projeto para uma obra de construção civil, deve ser aprovado pela prefeitura do município onde se dará o empreendimento.

Após dar a aprovação do projeto, a prefeitura tem até o dia 10 do mês seguinte para informar à Receita Federal do Brasil (RFB) todas as de aprovação de obras. As informações sobre essa obrigatoriedade você encontra no link a seguir: http://www.receita.fazenda.gov.br/previdencia/SisCadObraModPref.htm

Aí entra a RFB fazendo a matrícula “de ofício” caso não constate que a obra cuja autorização a prefeitura forneceu ainda não tenha a tal matrícula CEI, obrigações contidas na IN RFB 971/09 artigos 19, 22 e outros.

Ocorre que nem sempre a obra inicia imediatamente após a aprovação do projeto. E quem assina como “dono da obra” no projeto, pode não ser – na maioria das vezes não é – a construtora que figurará como “responsável” pela obra perante à RFB. Quando a construtora é contratada faz a abertura de uma nova matrícula CEI – sem saber que já existe uma matricula aberta “de ofício” pela RFB.
Começa então o problema, já que para toda matrícula CEI aberta deve ser gerada uma GFIP – Declaração de Informações à Previdência Social – para repassar à RFB os dados de contribuições previdenciárias sobre a mão de obra utilizada no empreendimento. Se não há conhecimento sobre a matrícula gerada, como fazer a GFIP? O problema aparece quando é solicitada uma CND – Certidão Negativa de débitos – da Previdência Social da empresa “dona da obra” e a certidão é negada. 

No Relatório de Restrições (ECAC, aba de Certidões e Situação Fiscal) aparece “falta de GFIP na matrícula CEI”, quando nem havia o conhecimento que existia tal matrícula.  Podem ocorrer outros motivos para bloqueio de emissão da CND, o que citamos aqui é apenas o da Matrícula CEI indevidamente com “falta de GFIP na matrícula CEI”.

Como resolver para liberar a CND

E como resolver? Como obter a CND da empresa será necessário extinguir primeiro o problema “falta de GFIP na matrícula CEI”.  

O primeiro passo é obter no site da RFB – com certificado digital através do eCAC (aba de Cadastros) – o “espelho” (relatório) da matrícula CEI citada no Relatório de Restrições. Se não for possível, deve-se agendar visita à RFB para obter o tal “espelho” da matrícula CEI. Tais dados serão necessários para gerar a GFIP sem Movimento no CEI da Obra.

O segundo passo é o que vai resolver o problema de bloqueio da CND: enviar uma GFIP SEM MOVIMENTO no CEI da Obra. O prazo médio para “limpar” a CND é de até dez dias após o envio.

Essa GFIP sem movimento no CEI da obra deve ser enviada com a competência do primeiro mês constante como “falta de gfip” no relatório de restrições e também a primeira “GFIP 13” do mesmo relatório.

Os dados da obra (matrícula CEI, CNAE, FPAS e endereço) devem ser informados nos campos destinados ao cadastro da Empresa no programa SEFIP.

Para gerar tal GFIP, deve ser feita a Abertura do Movimento com o código 115, assinalando o indicativo de “ausência de fato gerador” (sem movimento) na tela de abertura de movimento.

O terceiro passo para resolver o problema é fazer a juntada de documentos e levar ao CAC (Centro de Atendimento ao Contribuinte da RFB) para cancelar a matrícula gerada indevidamente. Normalmente são necessários o contrato com a Construtora responsável pela obra perante à RFB e o comprovante da outra matrícula aberta vinculada ao CNPJ da Construtora, que pode ser mesmo uma GFIP qualquer que a Construtora enviou e repassou ao contratante da obra. A RFB pode solicitar outros documentos, mas somente com a ida ao CAC você poderá saber. Ressalte-se que o atendimento no CAC deve ser feito por pessoa habilitada (procurador ou com autorização por escrito da entidade).

COMO EVITAR O PROBLEMA

Para que não haja problemas com a obtenção da CND, recomendamos alguns procedimentos a fazer mensalmente. Eles servem para resolver outros problemas, não só com relação à CEI indevido. Coloque na sua agenda, para fazer logo após o envio mensal da GFIP. Não leva mais de cinco minutos. Não esqueça que o envio da GFIP é sempre até o dia 07 do mês seguinte à ocorrência do fato gerador, mesmo para quem  não faz recolhimento de FGTS:

     1)      Entrar no site da RFB com o certificado digital e na aba “Atendimento Virtual (e-CAC)”. No e-CAC, clicar na aba “Cadastros” para verificar se aparece alguma matrícula CEI indevidamente registrada no CNPJ da entidade.

     2)      Nunca solicite uma CND pela internet antes de saber se há restrições para emissão. Se houver algum problema que impeça a emissão você não conseguirá emitir a CND pela internet antes de 30 dias, mesmo que o problema seja resolvido antes.

    3)      Desde 03/11/2014 a RFB emite uma única certidão abrangendo tributos federais em geral e contribuições previdenciárias. De consulta pública – não há necessidade de senha ou de certificado digital, checar se a CND está na validade, antes de solicitar outra pela internet. No site da RFB há link para “Certidão Pessoa Jurídica”, onde deve ser clicado e depois em “Emissão de segunda via de certidão de pessoa jurídica”. É possível solicitar outra certidão – mesmo a atual estando na validade – mas só faça esse procedimento depois do passo a seguir (checar se há restrições, consultando pendências).

   4)      No mesmo link acima, clicar em “Consultar Pendências – Situação Fiscal – Relatório Complementar” (acesso via eCAC, com certificado digital). (no eCAC, aba “Certidões e Situação Fiscal”). Caso haja algum problema apontado, resolver de imediato. Se não houver restrições, recomendamos a emissão de uma nova certidão – o prazo de 180 dias começa a contar novamente – e os passos seguintes não precisam ser realizados.

   5)      Se houver alguma divergência ou pendência, ainda no e-CAC, clicar na aba “Cobrança e Fiscalização” para entrar em “Notificações de Auditoria de Compensação em GFIP”, já que o uso do Campo “Compensação” da GFIP pode gerar também bloqueios de processamento da GFIP e resultar em “falta de GFIP”. O padrão é “nenhum detalhamento foi encontrado”. Se houver resposta diferente o problema deve ser investigado e no próprio link há um manual para orientar a correção.

     6)      Caso haja divergência também devem ser consultadas as GPS pagas e acatadas pela RFB no site da RFB mesmo, na opção Empresa > Pagamentos e Parcelamentos > Extrato de Contribuições Previdenciárias das Empresas. Será necessário utilizar a “senha previdenciária”, a mesma que é utilizada para pesquisa do FAP (Fator Acidentário de Prevenção). Esta pesquisa é importante para confirmar se os pagamentos foram acatados nos códigos, campos e competências corretas. E assim, pode-se fazer o “batimento” entre GFIP enviada, GPS paga e GPS acatada pela RFB, fazendo as correções necessárias após a análise.

Fazendo os procedimentos mensalmente não haverá surpresas na hora de emitir uma CND. Que tal incluir na sua pauta?

Abraços, fique com Deus e até breve!

Zenaide Carvalho

Palestrante, escritora, administradora e contadora, instrutora de treinamentos na área trabalhista e previdenciária. Site: WWW.zenaidecarvalho.com.br. Escrito em 15/01/2015. Pode ser reproduzido desde que citados autora e fonte.

Tabela do IRRF para 2015 ainda não saiu - use a de 2014!

Muita gente perguntando, então tive que interromper minhas férias nas Bahamas para vir fazer o post aqui no Blog sobre o IRRF de 2015... eheheheh...

Brincadeiras à parte, realmente ainda não há tabela para 2015. A orientação é continuar usando a tabela de 2014 até que se tenha uma definição.

A MP 656/14 trouxe um reajuste de 6,5% mas que não foi apreciado e não deve ser sancionado pela Presidente Dilma.

Então, ficamos no que não ainda não temos, usem a tabela de 2014 por enquanto.

Leia a seguir matéria publicada no O Globo no dia 13/01/2015, onde o ministro diz que nem ele sabe... eheheheh...

Link: http://oglobo.globo.com/economia/joaquim-levy-diz-que-ainda-nao-ha-decisao-sobre-correcao-da-tabela-do-ir-15038609


Um excelente 2015 para todos!

Zenaide.